O crescimento do atendimento psicológico em domicílio

insert image
O crescimento do atendimento psicológico em domicílio

É muito claro que a pandemia da COVID-19 mudou a vida em sociedade. A forma de se relacionar, de fazer compras e até os atendimentos de saúde mudaram para se adaptar à realidade do distanciamento social. Nesse contexto, se notou o crescimento dos atendimentos psicológicos em domicílio e online.


O atendimento psicológico em domicílio já existe há algum tempo, porém não era tão conhecido e utilizado. Essa modalidade de atendimento é indicada, principalmente, para pacientes que tenham limitações para sair de casa ou estejam adoecidos, o que impede  os pacientes de se dirigirem a clínica e hospital. Cuidar da saúde mental é  de extrema importância  nesses casos.

Crescimento do atendimento psicológico em domicílio

O atendimento psicológico em domicílio se caracteriza pela ida do psicólogo até a casa do paciente. Ele é mais indicado nos casos de pacientes em home care ou que tenham limitações de mobilidade. A solicitação do atendimento domiciliar pode ser feita pelo próprio paciente, familiares, médicos e equipe de saúde que o assiste. 


A visita e avaliação psicológica, tem como objetivo identificar a demanda e necessidade do paciente, pontuando quais os eventuais problemas (social, financeiro, dinâmica familiar e entre outros), que possam interferir no andamento do tratamento do paciente e desequilíbrio emocional, a partir daí, propor o acompanhamento psicológico. 


O atendimento psicológico domiciliar é uma área de atuação que oportuniza aos pacientes e familiares serem assistidos também no emocional, uma vez que o adoecimento pode provocar alterações no humor, ansiedade, estresse e frustração.


Essa modalidade tem crescido muito nos últimos anos, junto ao serviço de home care, que vem se popularizando com o aumento de tecnologias que permitem cuidado efetivo de pacientes no conforto do seu lar.

Atuação do psicólogo no atendimento de saúde domiciliar

O atendimento de saúde domiciliar, também conhecido como home care, consiste em dar assistência à saúde em casa para pacientes clinicamente estáveis, com diagnóstico clínico confirmado e que precisam de algum tipo de cuidado em saúde que pode ser oferecido em domicílio, com qualidade e segurança.


Saiba mais sobre atendimento de saúde domiciliar!


Nesse contexto, a atuação do psicólogo é muito importante para o paciente e para a família, uma vez que são muitas mudanças e adaptações, lembrando que o paciente não adoece sozinho, a família e/ou cuidador adoecem juntos. O suporte emocional nessa situação é imprescindível para a melhora do paciente e para que a família consiga ter mais compreensão, os familiares e/ou cuidadores apresentam-se  quase sempre sobrecarregados com o acúmulo de tarefas a cumprir e sem disposição para cuidar de si próprios, possibilitando maior instabilidade emocional do paciente e do familiar.


O adoecimento muitas vezes traz mudanças de humor, depressão, estresse, ansiedade e baixa autoestima. É papel do psicólogo, junto ao paciente, trabalhar na maior compreensão sobre a situação e suas consequências, através do atendimento individual - psicoterapia breve. O atendimento em domicílio o psicólogo consegue ter uma visão mais clara das necessidades do paciente, permite um contato maior com a realidade do paciente e da dinâmica familiar. 

Atendimento psicológico online

O tema saúde mental vem sendo cada vez mais debatido. Outra modalidade de atendimento que cresceu muito com a pandemia foi o online, atendimento feito por videochamadas ou ligações. 


Devido a indicação por distanciamento social, a maioria dos psicólogos clínicos aderiu à modalidade e os pacientes estão se adaptando bem à mudança.


Essa modalidade também pode ser usada no atendimento de saúde domiciliar, mas o psicólogo deve avaliar se é a melhor opção, uma vez que muitos idosos têm dificuldade com chamadas de vídeo, por exemplo.


Quer saber mais sobre atendimento de saúde domiciliar ou precisa de um psicólogo que atende em domicílio? Entre em contato!

Texto escrito pela Dra. Lara Andrade, geriatra da Qualivida.

Confira outras matérias

insert image